PIEA2

O projeto do outro
O projeto da colega Thays Mara é bem interessante e abrange dois temas que gosto muito: Arte e Tecnologia. Nos dias atuais inserir o uso da tecnologia na prática pedagógica é sem dúvida de fundamental importância, embora saibamos que não basta apenas levar a tecnologia para a sala de aula, mas é preciso que essa ferramenta que estar aí para colaborar seja usada de forma criativa, ou seja, é preciso que o educador se disponha a abrir mão de algumas ideias conservadoras buscando mudar sua metodologia dentro desse processo criativo.
Quando se dispôs a trabalhar com Stop Motion, Thays  fez exatamente isso, mudou a metodologia normalmente utilizada na prática pedagógica com o uso da tecnologia que muitas vezes é usada apenas como ferramenta de pesquisa via internet, pois Stop Motion é uma forma de dinamizar a aula integrando arte e tecnologia e, é certo que este processo criativo motiva os alunos despertando o gosto pela arte.
Além do Stop Motion, que percebi ter sido uma experiência interativa bem agradável, observei também que  Thays trabalhou com as técnicas de estampa Monotipia e Colagraf e de gravura a técnica ponta seca. Analisando seu texto e vendo as imagens das produções dos alunos percebi que a realização do projeto foi um sucesso, ambas as técnicas tanto de gravura quanto de estampa foram executadas com materiais acessíveis a todos os alunos, pois observei que material utilizado foram papelão, papel A4, tinta óleo e rolinho pra pintar e algo interessante e que me chamou atenção foi que o Stop Motion foi feito com as produções dos alunos nas técnicas de gravura e estampa. Parabéns Thays! Acredito que você desenvolveu um bom projeto.


Universidade Aberta do Brasil - UAB/UnB
Instituto de Artes - IdA
Departamento de Artes Visuais
Curso de Licenciatura em Artes Visuais
Disciplina: Projeto Interdisciplinar de Ensino e Aprendizagem 2
Professor Autor: Ana Beatriz Barroso
Professora Tutora: Letícia Teixeira Lavenhagen Clébicar
Tutor Presencial: Olavo Damasceno Costa
Nome da Aluna: Núcia Sabóia Ferreira
Matrícula:08/61499
 
A realização do PIEA2 foi a concretização de uma etapa muito importante, a instalação com calcinhas na Praça Arlindo Figueiredo abordando o tema violência contra a mulher, mostra que através de linguagens artísticas podemos conscientizar as pessoas sobre temas importantes, denunciar injustiças sociais e aproximar a arte do público. O vídeo com imagens de mulheres sendo espancadas e os gritos chamou bastante a atenção do público, algo que me surpreendeu foi a participação dos homens que, normalmente são mais tímidos ou mais reservados, no entanto, participaram, interagiram e falaram da importância de trabalhos como estes em Sena Madureira.
A Intervenção Urbana não é tão conhecida na realidade local e, através dessa instalação os espectadores conheceram a arte de uma outra forma, ou seja, as pessoas estão acostumadas com obras de arte em museus e galerias, e não invadindo as ruas da cidade. Por isso, optei por executar um projeto com uma linguagem que leve a arte até as pessoas para que vejam obras de arte diferentes, para que criem junto com o artista suas obras. É claro que nem todos tem a mente aberta para o diferente, muitos não abrem mão de suas ideias conservadoras, mas a maioria gosta de interagir e deixa sua criatividade fluir. A seguir o vídeo da realização do trabalho e da montagem.

 

Universidade Aberta do Brasil - UAB/UnB
Instituto de Artes - IdA
Departamento de Artes Visuais
Curso de Licenciatura em Artes Visuais
Disciplina: Projeto Interdisciplinar de Ensino e Aprendizagem 2
Professor Autor: Ana Beatriz Barroso
Professora Tutora: Letícia Teixeira Lavenhagen Clébicar
Tutor Presencial: Olavo Damasceno Costa
Nome da Aluna: Núcia Sabóia Ferreira
Matrícula:08/61499
Roteiro de projeto

Título: Intervenção urbana/programa computacional Autoria: Núcia Sabóia Ferreira
1. Apresentação sucinta do tema e das disciplinas escolhidas para tratá-lo;
Pretendo desenvolver meu projeto intervenção/programa computacional na disciplina de arte com foco na tecnologia, para apresentar aos educandos a disciplina de arte de forma diferente, inserindo o uso de tecnologias para que percebam que a tecnologia pode ser muito útil se bem utilizada na construção de novos saberes.
2. Motivação: de onde vem sua vontade ou necessidade de falar sobre esse assunto dessa maneira, isto é, através dos meios que essas disciplinas lhe oferecem;
Minha motivação vem do meu encantamento pela linguagem da intervenção urbana e pela a tecnologia, falar de ambas é também uma oportunidade de aprender sempre mais e inserir no processo de aprendizagem tecnologias já usadas diariamente pelos educandos.
3. Objetivo: o que é essencialmente o seu projeto, a que ele vem o que você pretende com ele;
Com esse projeto pretendo motivar o público a ver a intervenção como uma prática artística que abrirá novos caminhos para se compreender que a arte não tem conceitos específicos e que precisamos estar abertos para admirar algo que não é tão comum, abrir a mente para o diferente.
4. Público alvo: A quem ele se dirige? O que ele pode representar para essas pessoas?
Pessoas da sociedade, verão que a arte não se resume a museus ou galerias, terão a oportunidade de ver uma arte que vai até o público e que permite interação desse mesmo público com a obra.
5. Metodologia: qual caminho você pensa em tomar; exemplo, primeiro farei isso, depois aquilo, precisarei ainda daquela outra coisa etc, finalmente, espero chegar em tal lugar. Como funciona seu processo criativo?
Para a execução do projeto farei uma pesquisa sobre os diferentes tipos de intervenções urbanas e o uso da tecnologia na mesma.
6. Instrumentos, materiais e técnicas a serem utilizados;
Nessa execução utilizarei um notebook, Datashow para projeção e extensão e tomada elétrica.
7. Referências de conceitos, artistas, projetos, obras ou fragmentos ligados ao que você pretende dizer e à maneira como pretende fazê-lo.
Pretendo fazer algumas intervenções num local público aqui de sena Madureira utilizando um programa de computador chamado ciberurbe criado pelo professor Christus Nóbrega. Através desse programa podemos criar nossas próprias obras e projetá-las na parede de um prédio ou num muro com um notebook e um Datashow, assim pretendo deixar que o público possa interagir criando também suas próprias intervenções e assim poder analisar que tipo de reações foi vivenciada por esse mesmo público.


Fotos local de realização do projeto






Universidade Aberta do Brasil - UAB/UnB
Instituto de Artes - IdA
Departamento de Artes Visuais
Curso de Licenciatura em Artes Visuais
Disciplina: Projeto Interdisciplinar de Ensino e Aprendizagem 2
Professor Autor: Ana Beatriz Barroso
Professora Tutora: Letícia Teixeira Lavenhagen Clébicar
Tutor Presencial: Olavo Damasceno Costa
Nome da Aluna: Núcia Sabóia Ferreira
Matrícula:08/61499

Para realizar um projeto sobre arte e tecnologia precisei da ajuda de algumas pessoas, o tema que abordei no meu trabalho foi à violência contra a mulher. Para apresenta-lo à sociedade fiz uma instalação na Praça Arlindo Figueiredo. Comecei a montagem as 16h com a ajuda de uma amiga, para despertar a curiosidade das pessoas, colocamos algumas calcinhas penduradas num barbante próximas ao muro e, às 19h estava pronta a instalação.
Sobre as calcinhas foi projetado um vídeo com imagens de campanhas que abordam o tema violência contra mulher, entre as imagens havia também alguns índices de violência em algumas regiões do país.
Algo surpreendente foi a participação dos homens, esperava-se um número maior de mulheres, mas os homens participaram, interagiram e responderam um pequeno questionário que fiz para saber a opinião do público sobre a instalação.
O objetivo do trabalho foi alcançado, algumas das perguntas do questionário se referia às reações vivenciadas pelo público presente, haviam algumas alternativas como surpresa, estranhamento, crítica e admiração dentre outras. As alternativas que mais foram marcadas foram estranhamento, por não conhecerem essa linguagem artística, surpresa porque segundo eles não imaginavam que alguém fizesse esse tipo de trabalho na cidade e admiração por se tratar de um tema importante como a violência contra a mulher.
Quando questionados se em Sena Madureira deveria haver outros trabalhos como este a resposta foi positiva, as pessoas que estiveram presentes acreditam que trabalhos como este podem contribuir com cultura local e que trabalhos de intervenção urbana despertam o interesse das pessoas pela arte, principalmente instalações que permitem a interação com o público.
Para executar esse projeto precisei de várias calcinhas, barbante, notebook, data show, mesa e extensão elétrica para que se pudesse projetar o vídeo sobre as calcinhas.

Nenhum comentário: